Archive for 23 de maio de 2009

Meu dia do Orgulho Nerd_parte 01

Ao som de: Free from Desire_Black Drawing Chalks_Big Deal_2008

 

Até Megan Fox, considerada acelebridade mais sexy do ultimo ano, se amarra em Star Wars...Nerd Pride, ou ié!!!!

Até Megan Fox, considerada acelebridade mais sexy do ultimo ano, se amarra em Star Wars...Nerd Pride, ou ié!!!!

Possivelmente alguns não acreditem, mas no dia 25 de Maio, comemora-se pelo mundo afora, o dia do Orgulho Nerd.A data foi escolhida por ter sido o dia da estréia do primeiro Star Wars. É incrível a capacidade da humanidade em inventar datas comemorativas estranhas (sim, ainda temos o dia do Orgulho Zumbi, comemorado no dia quatro de fevereiro, em homenagem ao nascimento de George Romero). Visto essa data tãããão importante, e aproveitando que ainda tinha uma sobrinha do meu salário, resolvi me dar um presente especial: o meu próprio dia do Orgulho Nerd.

O plano começou quando tive que, de qualquer forma, ir ao Pátio Brasil pagar minhas contas de cartão de crédito (esses sanguessugas do capital arranjam várias formas para arrancar meu pobre dinheirinho). É engraçado is r a esse shopping, pois toda as vezes que chego na entrada, imagino que algum ouvinte exagerado de emotional hardcore vai cair lá de cima (quem mora em Brasília, sabe do que estou falando). Sem conseguir respirar normalmente, devido a uma crise de rinite alérgica (ainda não sei qual a relevância dessa informação, mas minha escrita espontânea é assim mesmo) resolvi que era hora de eu fazer algo que não fazia a um tempão. Fui então assistir a uma sessão dupla de cinema: um Star Trek, seguido de X-Men Origins: Wolverine. Como não poderia faltar, comprei uma HQ que estava namorando há um mês, mais ou menos: a fodônica “O manicômio do Coringa”, uma compilação de histórias de terror e suspense contadas pelo próprio palhaço do crime.

Por fim, mais não por isso menos importante, comprei o livro que , até agora, tem resumido minha vida social, audiovisual, amorosa e gastronômica. Há anos queria encontrar o Alta Fidelidade, de Nick Hornby. Advinha o que encontrei?Ta dá…

Pra não escrever um post gigante sobre todas essas coisas, vou dividi-lo em algumas partes e postarei no decorrer dessa semana estranha.

Até daqui a um pouco…

10 melhores discos de fossa_parte 01

por Brasas Man Vibrations

Ao som de: Wouldn’t It Be Nice_Beach Boys

Esta seleção presta-se a estabelecer os melhores discos produzidos por e sob o efeito da fossa e não para serem ouvidos em momentos de fossa.Se assim fosse qualquer disco do Rei Roberto ou de João Mineiro e Marciano já valeriam a pena.Não que eles não sejam indicados para apreço neste momento(e até devem ser);afinal não existe nada melhor do que saber e sentir que também existe gente no mundo que passou ou passa pela mesma desgraça que nós.È bom saber que existe gente tão ou mais fodido do que o chutado em questão.Vai aí então uma seleção dos melhores discos de gente que fez um acordo com as nádegas.
 
01-In the small hours- Frank Sinatra(1954)
 1-in_the_wee_small_hours
“In The Wee Smll Hours” foi gravado sob forte emoção de Sinatra, que havia há muito pouco, terminado um romance com a atriz Ava Gardner. Esse rompimento pode ter ocasionado um dos melhores álbuns de todos os tempos e comprova uma teoria minha que para se fazer um grande disco, alguns compositores necessitam sofrer de amor. A capa do disco já denunciava que Frank estava eternizando sua verdadeira obra prima.O álbum foi uma surpresa até mesmo para os vendedores de discos dos EUA. Na época estavam acostumados a colocar os discos da “voz” na prateleira de easy listening. Certamente esses caras nunca imaginariam ouvir Frank cantando confissões de bêbado de “Can´t We Be Friends”, muito menos suplicar como em “What is This Thing Called Love” de Cole Porter e “Mood Índigo” de Duke Ellington, músicas que nunca haviam soado tão melancólicas e tá bom…desesperadas.
 
02-For Emma Forever Ago- Bon Iver(2008)

bon+iver+for+emma+forever+ago
Como todo bom disco de fossa este é descaradamente triste,desavergonhadamente solitário,destruidoramente bonito.Tão bonito que chega a doer.Igualzinho a um pé na bunda.Justin Vernon a persona por trás do pseudônimo Bon Iver tinha passado por maus bocados nos últimos 2 anos,veja só:
-Sua banda acabou
-Seu namoro terminou
-Ele contraiu Mononucleose
Ele passou   meses de cama sem nada pra fazer.Diante de todas estas desgraças o que foi que o sujeito aprontou?(Suicídio você pensou né?)Simplesmente Justin transformou desgraça em arte e produziu  o melhor album de 2008.Depois de curado Justin pegou seu violão,sua guitarra e se mandou de sua cidade indo compor e gravar numa cabana isolada num bosque em Wisconsin.Foi lá que ele compôs,produziu e gravou em 8 canais “For Emma forever ago”.Tá vendo amigo,desgraça pouca é bobagem.
 
03-Dummy- Portishead

Portishead_dummy
Não se sabe exatamente se Beth Orthon ou Geoff Barrow levaram um pé na buzanfa á
época do lançamento de Dummy.O fato é que o trip-hop já é um estilo pé na bunda por si só.Ótimo pra ser ouvido solitariamente no escuro ás 03:40 da madruga pensando em como poderia ter sido se você não tivesse feito ou dito aquela cagada.Os hit aqui é “Glory Box”(Aquela da propaganda em que a modelo deprimida vai caminhando até desaparecer no mar):
“A partir de agora desacorrentada
Todos nós estamos procurando uma imagem diferente
Através desta nova moldura da mente
Milhares de flores poderiam florescer
Sai de perto e nos dê um pouco de espaço”
 
04-Blood on the tracks-Bob Dylan(1974)

media-1192682291-8905
O que Dylan queria com este disco era desafiar o conceito de tempo.Com vocês palavras do próprio Dylan ao jornalista Bill Grahan:”O  narrador passa o álbum inteiro lembrando do passado durante o presente e, quando se chega na canção final, o presente e o futuro são uma coisa só. Na verdade, todas as letras são como um quadro: você pode ver um pequeno detalhe do quadro ao mesmo tempo que vê a sua totalidade. Era isso o que eu queria fazer: uma meditação sobre a simultaneidade do tempo, de como você pode pensar em uma pessoa querida que perdeu, e ela está lá, ao seu lado, e também não está”.Pra ilustrar melhor vai aí um trecho de “If you see her,say hello”:
 “O sol se põe, lua amarela
Eu reensaio o passado
Conheço cada cena de cor
Todas passam tão rápidas
Se ela passar por esse caminho novamente
Não sou tão difícil de se achar
Diga-lhe que ela pode me procurar
Se ela tiver tempo”
Todos sabemos que ela não vai o procupar caro Bob,tsc tsc…
 
05-Descobrimento do Brasil-Legião Urbana(1993)

ldisc07
No começo dos anos noventa Renato Manfredini levou um puta chutaço de um bofe por abusar demasiadamente da heroína e do álcool;isso foi inspiração pra ele compor o mais belo disco de fossa da música brasileira.Quem ouviu na idade certa,com o espírito e chute certo sabe bem o que estou falando.Mas teorias a parte “Os Barcos”,”Vamos fazer um filme” e “Um dia Perfeito” são belas músicas e também ótimas companheiras de tristeza.
PS:Cuidado,o suicidômetro marca 9,5.

(por motivos de agendas hiper lotadas [ser professor é MESMO difícil, por que acham que não é), meu velho amigo Brasas ainda não passou a segunda parte da lista…estamos aqui aguardando).

Back to the works…

Ao som de: I will Survive_Cake_Fashion Nugget

 Dilbert%202

De volta, de Preto…ou ié. Depois de quase um mês longe do meu passatempo sério mais divertido, estava com crise de abstinência devido a falta de escrever besteiras.

Depois de algumas gripes (sério, ainda estou gripado, faz um mês…seria gripe suína?), muita correria no trampo (ser professor é PERECER no paraíso) e outras milhares de tarefas se acumulando em minha caixa de tarefas que eu um dia terminarei, aqui estamos, de volta, com computador novo (agora posso escrever enquanto estou na cama, debaixo de edredon, beeeem quentinho) e várias idéias na cabeça.

Pra começar, os principais acontecimentos do mês de maio que merecem ser citados: Heaven and Hell em Brasília; Star Trek e X-Men Origins: Wolverine; dia do Orgulho Nerd (sério, não imaginava que isso existia…me divirto com esse mundo Nerd); paguei minhas contas todas (isso é mesmo histórico)…e outras coisas que me lembrarei aos poucos.

Bom, é um prazer estar de volta…e aos nossos dez leitores cativos, não se desesperem, estamos aqui, de volta

 

Lucas Bonachovski, com saudade de toda essa besteirada