Archive for agosto \31\America/Bahia 2009

Blog Day 2009!!!

Ao som de: Hoje, amanhã e depois_Nação Zumbi_Futura (2007, eu acho…depois confirmo)

Tá...não achei uma imagem legal sobre o evento desse ano...mas tá valendo ne...a msg é legal!

Tá...não achei uma imagem legal sobre o evento desse ano...mas tá valendo ne...a msg é legal!

Sendo o nosso Bonacho Experience um jovenzinho nessa blogosfera selvagem, estamos nós aqui participando do Blog Day!!!

Pros desavisados (como eu) o blog day é comemorado nesse 31 de agosto do bom jezuiz. De acordo com o site oficial do evento, o ‘ “BlogDay foi criado na convicção de que os bloggers deverão ter um dia dedicado ao conhecimento de novos blogs, de outros países ou áreas de interesse. Nesse dia os bloggers recomendarão novos blogs aos seus visitantes.’

Então, seguindo as instruções do Blog Day, ai vão as indicações do Bonachovski pro6 meu povo!!!

Warpzona

Zona confiabilíssima de informações video-gamezisticas, o Warpzona e capitenado pela mente insana conhecida por Ryunoken. Pra um mané sem ps3, ainda é minha fonte de referências pra não me perder nesse mundo dos lançamentos do video-game.

Screamyell

Na verdade, um portal com indicações para vários blogs que fazem parte desse projeto, o screamyell é pra mim a melhor fonte de informações sobre cinema, música de qualidade, quadrinhos o universo e tudo o mais.

Vício Auditivo

Tá, eu baixo mp3, vc baixa mp3, o Metallica baixa mp3…o MUNDO baixa mp3. O vício auditivo é só um dos melhores lugares de indicação de novas e clássicas ótimas bandas. Obrigado pelo serviço prestado.

Action & Comics

O Action & Comics, em relação a quadrinhos, consegue ser melhor que o O OMELETE. Por que? Por que além de resenhas críticas muito boas, dá pra baixar os melhores lançamentos, permitindo que nós, probres brasileiros, possamos acompanhar praticamente ao mesmo tempo o que os leitores gringos estão lendo no lançamanentos.

Sim, sou um danadinho e baixo quadrinhos!

A Vitrola da Beths

Quando dá na telha de largar mão de ouvir taaaaaaaaanta música barulhenta, venho a esse blog e procuro alguma indicação da Beth.

Ficam ai as indicações. Aproveitem!!!

Bomb News: a volta do UNânime???

Ao som de: Superstition_Steve Wonder_Motown 50 anos (2009)

Será mesmo? O segundo fanzine mais fanfa de Gama City (depois do Catuamangá) pode voltar???Teremos novas aventuras dos sagazes xique xique boys ou dos fuleiros Capitão Doidão e SuperTição???

Bom, ainda é cedo pra dizer. Mas podemos adiantar que a dupla menos talentosa do mundo dos quadrinhos está de volta a ativa. Depois de muita insistência da ambas as partes, Márcio, The Marmote Man, Rocha e Lucas, Atomic  Bonachovski, de Oliveira (tbm conhecido por “eu mesmo” ) resolveram botar a cachola pra funcionar.

Logo, teremos algumas tiras curtinhas aqui no Bonachovski Brother Experience. Mas nada de fanzine, pelo menos por enquanto.

Fica ai o preview de uma das tiras: Aderbal Almeida: Detetive, Maloqueiro, Sofredor.

Tá, a imagem ficou pequena...mas logo teremos mais novidades, ok dude???

Tá, a imagem ficou pequena...mas logo teremos mais novidades, ok dude???

Mas qual será o intúito desse retorno? Simples prazer de trabalhar com quadrinhos? Ou seria uma conclamação aos fanzineiros do Gama, Sítio de Gama e afins pra voltar a trabalhar com zines…Fanzineiros das Antigas: Uni-vos???

rsrsrsrsrs…é isso então!!!

Lucas Bonachovski, animadão com as histórias novas saindo de sua cabeça lesionada…

Bomb News: Putz, a Disney comprou a Marvel!!!

Ao som de: Aline Calixto_Faz o Seguinte_Aline Calixto (2009)

Pobre Capitão América...ficou desconsolado com essa notícia.

Pobre Capitão América...ficou desconsolado com essa notícia.

É meu povo, é mesmo o fim dos tempos. A temperatura do mundo subindo, o Vilson tem uma namorada e agora, pra acabar de lascar com tudo, a Disney, o maior empreendimento do mundo do entretenimento fofinho comprou a sagrada Marvel Comics, berço das principais lendas da nossa infãncia.

O que está acontecendo com esse mundo, meu deus? Será que teremos um encontro entre Tarzan e Ka-Zar? Ou agora teremos na House of Mouse as visitas ilustres do Cabeça de Teia ou do Quarteto Fantástico???

Esperar pra ver…

“O Omelete” já produziu uma análise do impacto que essa notícia teve no mundo do entretenimento, e quais poderão ser os desdobramentos dessa união. Leia aqui!

Devemos ter medo? Comente ai!

Coisas que lembramos ao acordar

Ao som de: The Raconteurs_You Don’t Understand Me_Consolers Of the Lonely (2008)

Um dia que começou estranho, foi um pequeno desastre e terminou de maneira feliz...

Um dia que começou estranho, foi um pequeno desastre e terminou de maneira feliz...

Coisas que lembramos ao acordar

Marcou um encontro com o sol.

Na verdade, o sol era ‘ela’, mas poucos sabiam desse detalhe.

E ela era linda.

Cabelos pretos, curtinhos, e olhos amendoados. Nunca entendera muito bem o que seriam esses tais olhos amendoados, mas nela ficavam ótimos.

E havia o sorriso.

Que, com todo o perdão do clichê, era radiante. Aquele sorriso era capaz de derreter, como mágica, qualquer tristeza, qualquer angústia que porventura aparecesse em um momento impróprio.

Sol, sorriso, derreter. Novamente, desculpas pela tentativa clichezenta de poesia. Mas todo o encantamento que ele sentia naquele momento, invariavelmente levava-o a pensar através destes termos. Até queria pensar em expressões mais rebuscadass, palavras mais obscuras, doces e misteriosas. No entanto, preferia deixar essa tarefa para algum poeta pálido, tuberculoso e soturno de alguma das fases do romantismo.

Até por que sempre preferiu bermudas aos pesados sobretudos.

Mas o que importa é que no fim daquela tarde, depois do expediente, ela estava lá.

Linda. Vestido verde, que ia até os tornozelos. Os pés em uma sandália levinha, com os braços soltos. Faixa no cabelo, mostrando a nuca.

Entendeu então por que sempre a achou tão…verão.

Conversaram sobre frivolidades. O último cd do Weezer. Discutiram o por que do Jim Carey ser um bom ator, quando não estava fazendo caretas pra tela e que assistir a orquestra sinfônica não era programa de gente chata e blasse, ao contrário.

E se beijaram

E não mais importava o aquecimento gobal, as contas atrasadas, a monografia ou o cara que sempre trazia a cerveja mais quente do bar. Por que naquele momento, ela era a única coisa que importava pra ele.

Perderam a noção do tempo, outro clichê clássico das história de amor. Era a hora em que ela precisava ir embora. Falou sobre um trabalho, do outro lado do mundo. E por incrível que pareça, queria estar com ele, queria mesmo estar com ele.

Ele preferiu dizer não. Teve medo, receio de abrir mão de sua vidinha chata e comum. Teve medo por que sua vida era ter medo. E a deixou ir embora, sem um beijo de despedidas ou um olhar pra trás.

Hoje seus dias se arrastam em tons de cinza. O vento é seco e os quadrinhos não são mais interessantes As empadinhas se tornaram sem graça. O trabalho era maçante.

Vez ou outra tinha um pequeno vislumbre dela. E brevemente o mundo era um pouco mais colorido.

Com o passar do tempo, o cotidiano passou a ser menos doloroso. Até ensaiava alguns sorrisos e gracejos. Enfim, levou a vida como poderia levar.

E aprendeu a se lembrar.

E quando as coisas ameaçavam ficar difíceis, era fácil superar os problemas: bastava se lembrar que, um dia, teve o sol ao seu lado.

Lucas Fernandes…e uma homenagem a alguem importante…

Living la vida Looser…

Tá foda…sem grana, sem tempo…mas com muito ânimo pra fazer QUALQUER coisa que não seja assitir tv na sexta a noite. E eu aqui, escrevendo pro blog…

I’m a Looser, buscando salvação…

Primeiro mandamento: aprenderás a gastar dinheiro em coisas utéis, para que sobre dinheiro pra cerveja de sexta.

Segundo mandamento: saia de casa e vai ver o mundo porra…

Ensinamentos para a salvação de uma alma bohemia que se perdeu no marasmo do cotidiano…

Combo Zombie_parte2: Fome Animal

Ao som de: Misterious Mose_R. Crumb and his Cheap Suit Serenaders_Chasin Rainbows  (1976)…Robert Crumb mandando ver no Jazz, Blues e Folk americano da década de 40…sublime, praticamente a trilha sonora do pica-pau das antigas

fome-animal-poster01

Violento, nojento, sem noção, ultrajante…FANTÁSTICO!!!!

Geralmente esses adjetivos não combinariam muito bem em uma frase vinda de uma pessoa séria. Mas o que esperar de alguem que curte assistir filmes de zumbi…(eu sou um caso perdido mesmo…)

Enfim…Peter Jackson é um maluco, todos sabemos disso. Mas um maluco genial. Encarar assumir a direção  da trilogia nerd suprema o Senhor dos Anéis já seria um indicativo de sua loucura. Mas é em Fome Animal que vemos o lado mais divertido de Jackson em ação.

O filme é tão gore, mas tão gore que chega a dar mesmo embrulho no estômago (curiosidade: em alguns lugares da Europa, o filme era acompanhado de sacos pra vômito quando locados). É uma nojeira sem fim, e o filme tem como único objetivo…ser nojento!!!Pra que melhor.

A história é mais rasa que um pires. Paquita, atendente latina em uma loja na Nova Zelândia se apaixona por Lionel, que é manipulado constantemente pela sua mãe. Certo momento, em uma visita de Lionel e Paquita ao zoo da cidade, a mãe de Lionel é mordida por um macado rato de Sumatra (exportado diretamente da ilha da caveira…será a mesma do King Kong?). E é a partir dai que os problemas começam. O ratto carrega uma maldição/infecção que transforma as pessoas em zumbis comedores de carne humana. E a partir de agora,  esqueça a história e preste atenção somente a nojeira generalizada.

E o mais engraçado do filme nem são as cenas bizarras com os zumbis, são os diálogos sem pé nem cabeça. Tal como Paquita encontrando a mãe zumbizona de Lione e após perceber que ela havia comido seu cachorrinho, perguntar:

– Lionel, sua mãe comeu meu cachorro?

Lionel, sua mãe comeu meu cachorro?

Lionel, sua mãe comeu meu cachorro?

Ou o melhor de todos, padre Mcgruder, socando os zumbis como um Jet Li do senhor e gritando “eu dou porrada em nome do senhor” (no original em inglês, “I kick as for the lord”)…puta, muito bom.

As enrascadas de Lionel com os zumbis são dignas de um Ash, de Uma noite Alucinante…mas quando ele resolve se rebelar…nunca um cortador de grama foi tão bem utilizado para destruir uma pá de zumbis como nesse filme.

Enfim, nem me focarei na parte doentia, sádica e ultrajantemente nojenta dos zumbis…deixo sua força de vontade e coragem te levar a assistir o filme pra ver…mas eu aviso: cuidado com seu jantar, ele pode voltar mais rápido do que você imagina…

Lucas Bonachovski…tentando manter o sanduiche nos estomago, depois de assistir ao Fome Animal.

Bomb News: Eagles of Death Metal confirmado no Porão do Rock 2009

Ao som de: Cherry Cola_Eagles of Death Metal (é lógico, esse post merecia)_Death By Sex (2006)

Fanfa total...isso é Eagles of Death Metal...

Fanfa total...isso é Eagles of Death Metal...

Ou ié beibe…ou ié…

Melhor notícia não poderia vir nesse domingo chuvoso. Eagles of Death Metal confirmadaço no Porão do Rock desse ano.

Pra quem não se empolgou nada com essa notícia, saiba que o Eagles of Death Metal, com uma mistura insana de stoner com punk, é uma das bandas mais fanfarrônicas que eu já ouvi, música pra ouvir alto, dançar de maneira estranha e tomar bastante cerveja.

Capitenada pelo maluco Jesse “The Devil” Hugues, o projeto tem a participação do “The Guy” Josh Homme do Queens of the stone age, na bateria…sonzaço de primeira.

Além do Eagles, a edição desse ano do Porão do Rock conta também com as já coalhadas Angra e Sepultura, que estão em turnês juntas, desde o semestre passado, além do Nação Zumbi (obrigado bom God, por ouvir minhas preces…prometo que serei um bom menino depois desse show). Da seletiva, ocorrida no sábado passado, foram selecionadas as bandas Soatá, Na Lata, Cassino Supernova, Blazing Dog, Bootlegs e Kanela Seka.

Enfim, Porão do Rock 2009…com data prevista para os dias 19 e 20 de setembro, totalmente na faixa na Esplanada dos Ministérios.

Enquanto isso, fiquem com um pouco do sonzaço insano do Eagles of Death metal, e veja o jeito mais estiloso e selvagem de retirar as vestes de uma senhorita.

PS: nessa altura do campeonato, com certeza deu pra sacar as participações especiais no clipe né.Não?Só temos o jack Black, Josh Homme e o arroz de festa musical Dave Grohl…que amigos legais esse Jesse Hugues tem né???

Them Crooked Vultures: vai ser do carai…

Por: Lucas Bonachovski

Ao som de: Stelle_Preaty Please (Feat Cee-lo do Gnarls Barkley)_Shine (2008)

them-c3de

O que esperar de um projeto musical que reune Josh Homme, Dave Grhol e John Paul Jones?

Simplesmente espere que vai ser ducaraleo, meu caro amigo solitário que está lendo esse texto as duas da manhã.

Pra quem ainda não se situou, um pouco do currículo de cada um dos sujeitos citados anteriormente:

Dave Grohl podia ser citado em qualque texto sobre bom rock’n roll só por ser um cara hiper gente boa do mundo musical. Mas vamos ao seus méritos: primeiro, o cara simplesmente tocou bateria na banda que deu uma nova cara pra musica na decada de 90. Ok, vc ainda não sabe em que banda ele tocou? No NIRVANA velho, simplesmente a banda que mais encheu estampas de camisetas pelos anos 90 afora. Com o suicídio de Kurt Cobain ( se você me disser que não sabe quem foi o Kurt, ai teremos problemas sérios) todos poderiam pensar que o jovem Dave cairia no anonimato. Mas ao contrário, o cara criou umas das bandas mais legais que eu já ouvi, o Foo Fighters, além de criar seus próprios projetos paralelos, tal como o Probot, album em que o próprio Grohl toca todos os instrumentos enquanto os mestres do vocal de metal interpretam as canções. Caras do naipe de Lemmy Kilmister, King Diamond, Max Cavalera e por ai vai.

O cara ainda tem tempo pra tocar com seus amigos, gente do cacife de Norah Jones, Jack Black e…

Josh Homme, lider do Queens of  the Stone Age, é o cara que está a frente de um das melhores bandas de rock surgidas nos ultimos anos. Trabalhando em prol de divulgar o Stoner Rock com o Queens, o cara é um dos melhores letristas de músicas de viagem, além de ter vários projetos paralelos em que pode experimentar uma série de influencias que vão de Black Sabbath, a mais óbvia, aos blues e jazz de other times. Entre seus projetos estão os Desert Sessions e o Eagles of Death Metal. Amigão de Dave Grohl, chamou o front man do Foo Fighters para tocar bateria em todo o album Songs for the Deaf, considerado pela crítica como o melhor album dos Queens. Olha ai e dá seu aval:

E por fim, John Paul Jones. O cara simplesmente foi o Baixista do Led Zeppelin. Me recuso a dar qualquer explicação.

Então, as chances de dar muito certo esse novo projeto são boas ou não são…

Fica o vídeo promocional dos caras, pro lançamento do album Never Deserved the Future, a ser lançado no dia 23 de outubro. Oia ai, rapá, um pedacinho da música Nobody Loves Me and Neither Do I e tire suas conclusões…

Combo Zoombie_parte 01: Diário dos Mortos

Ao som de: Sobre o Frio_Supercordas_Seres Verdes ao Redor (2006)

Putz…sexta-feira, você está uma pilha de stress devido as várias aulas ministradas na semana, monografia nas costas, falta de dinheiro pra tomar aquele chopp. O que você faz?Passa na locadora e pega altos filmes de zumbi, claro.

Eu sei…é meio patético, mas nada melhor que assistir uns bons filmes de zumbi pra ver que sua vida ainda pode melhorar (ou pra desistir da vida de vez, vendo que estamos fadados a um apocalipse zumbizístico iminente).

Enfim, a esse singelo programa dei o nome de…COMBOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO  ZOOMBIE (mas tem que ser dito assim mesmo, gritando…é, é idiota mesmo, mas muito relaxante…tente em casa, de preferência longe de seus familiares pra evitar um momento ‘vergonha alheia’).

Sem mais delongas, vamos as podreiras escolhidas. Pra começar, o novo de George Romero, ‘Diário dos Mortos’ e um clássico absoluto em termos de zumbizologia…Fome Animal, de Peter Jackson.

Diário dos Mortos: clichê, homenagem ou reciclagem de um gênero?

diario-dos-mortos

Durante todo o filme, fiquei me fazendo a pergunta do título acima. Qual foi o objetivo do mestre Romero ao produzir esse filme? Creio que no fim dos post, e do filme, vo6 também poderão tirar suas conclusões.

Diário dos Mortos, a princípio, se classificaria no estilo ‘filme dentro do filme’, muito em voga nos filmes de terror dos ultimos anos, vide o exemplo de ‘Cloverfield: Monstro” de J.J Abrams e o estilosão “REC”, terrorzaço zumbizesco dos espanhois Jaume Balagueró e Paco Plaza, além do já consagradíssimo “A Bruxa de Blair” (meio que um pioneiro nesse tipo de filmes).

O filme conta a história de alguns estudantes de cinema, que se encontram gravando um filme de terror dos mais xumbregas, para um projeto de conclusão de curso. Eis que no meio das gravações eles ouvem notícias de acontecimentos estranhos acontecendo em várias localidades, envolvendo mortos que se levantam e atacam outras pessoas. Logo, todos resolvem que o melhor e voltar a suas respectivas casas, por via das dúvidas. E e ai que a sanguinolencia começa.

Mas como não é só a zumbizada mandando ver nos pobres pescoços alheios, Romero acerta a mão mais uma vez na crítica social e política acerca os Estados Unidos. Mas dessa vez, Romero mira sua acidez na sociedade da tecnologia e da informação que nós mesmo criamos. Com o youtube, myspaces  e blogs se reproduzindo mais rápido do que podemos acompanhar, fica difícil saber qual o nível de ‘verdade’ a que estamos submetidos quando vemos uma notícia acontecer. Tal como na morte de Michael Jackson (nosso zumbi preferido) , por exemplo: antes de notícias oficiais afirmarem o óbito do velho Jacko, blogs e twitters do mundo inteiro já faziam essa cobertura extra oficial, que ora pode ser boa, ora muito ruim. E é nesse sentido que os personagens do filme seguem, buscando mostrar a verdade ‘nua e crua’ do infestação de zumbis que está ocorrendo nos US and A (lembrando do Borat agora…).

'Diretamente de...um minuto por favor, tem um zumbi querendo me devorar. Mais notícias no jornal das 7 horas"

'Diretamente de...um minuto por favor, tem um zumbi querendo me devorar. Mais notícias no jornal das 7 horas"

Mas no fim de tudo, o diretor se perde um pouco nessas divagações acerca a velocidade e a necessidade que criamos de tecnologia e de informações. Não tanto pelos questionamentos em si, mas por causa das questões serem formuladas pela narradora em terceira pessoa, típico de filmes nacionais (cá pra nós, quem aguentou quase duas horas de capitão Nascimento chorando as mágoas por causa do BOPE?).

O filme também perde um pouco por usar dessa formula ‘filme no filme’. Pode até ser que ter assistido ao REC algumas horas antes possa ter interferido nesse meu julgamento, mas Diário dos Mortos não passa a autenticidade de REC, muito menos a de Cloverfield ( e olha que comparado aos zumbis, é muito mais difícil ter atuações autenticas dos atores que estão sendo atacados por um MONSTRO GIGANTE que destruiu Nova York). O filme não me convenceu muito, e todos pareciam que estavam atuando pras camêras (bom, eles estão atuando, mas não era pra parecer que estavam atuando, deu pra entender…acho que até eu fiquei confuso).

Agora, sejamos sinceros: no aspecto zumbizagem, Romero continua imbatível como sempre. E nesse filme podemos dizer que houveram algumas novas surpresas. Primeiro, Romero brinca com todos os clichês de filmes de zumbis, clichês que ele mesmo criou. Dos personagens estereotipádos (o casal descerebrado, o mal-humorado, o brincalhão e até um professor com diálogos sheaksperianos) as cenas clássicas de fimes de terror ( a piada com a mina reclamando do  papel dela, de correr e mostra os seios, é impagável).

Além disso, as mortes desse filme também estão ótimas. O filme é um guia atualizado de como matar zumbis de jeitos divertidos: fritando o cérebro com um desfibrilador, jogando ácido na cabeça do zumbi e ficar observando ele torrar o cérebro do coitado ou, e essa é a melhor: no caso de você ser um amish eremita e ser mordido por trás por um zumbi, não pestaneje, fure sua própria testa com uma foice gigante para matar também o Zumbi em questão.

Criatividade e adaptação é isso ai...nem McGyver faria melhor...

Criatividade e adaptação é isso ai...nem McGyver faria melhor...

No final das contas, vale a pena assistir ao ‘Diário dos Mortos’? Claro que sim, afinal é um Romero legítimo. Mesmo deslizando nos clichês dos filmes de terror contemporâneos, o filme ainda contem o que faz de Romero um dos grandes cineastas de Holywood: a crítica social está lá, os conflitos entre os personagens e é claro, os zumbis magistrais. Sendo assim, tranque as portas, pegue suas armas de fogo, mire sempre na cabeça e espere que a invasão está começando…

Estilo Amish de matar zumbis...rsrsrsrsrs

Estilo Amish de matar zumbis...rsrsrsrsrs

Lucas Bonachovski está tentando responder até agora pra sua avó o por que de gostar tanto desses filmes esquisitos do povo ‘se comendo’, como ela diz…rsrs